Para pensar!

Identidade

Às vezes nem eu mesmo

 sei quem sou.

Às vezes sou

“o meu queridinho”.

Às vezes sou

moleque malcriado.

Para mim

tem vezes que eu sou rei,

herói voador,

caubói lutador,

jogador campeão.

Às vezes sou pulga,

sou mosca também, que voa e se esconde

de medo e vergonha.

Às vezes

eu sou Hércules,

Sansão vencedor,

peito de aço,

goleador.

Mas que importa

O que pensam de mim?

Eu sou eu,

sou assim,

sou menino.

 

(Pedro Bandeira. Transcrito de Cavalgando o arco-íris. São Paulo, Moderna, 1985)

 

 

Voltar POESIAS 


About | Print Version | Sitemap
© Este site é uma criação de APCA desde 18/09/2008